/ AGRO DA GENTE 

09 de Janeiro de 2023 10h45

Secretaria de Agricultura avança no projeto-piloto da URT do Leite e agricultores comemoram certificação da produção

09/01/2023

NATHANY GOMES

Emanoele Daiane

A Secretaria Municipal de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico (SMATED), avança no projeto-piloto da Unidade de Referência Técnica (URT) do Leite, na região do Assentamento 21, zona rural da capital. Este importante passo consiste na adesão oficial de mais sete produtores de pequena propriedade para receber investimentos em infraestrutura ao mesmo tempo que trabalha a certificação e apoio logístico da produção em escala e a intermediação do produto final junto ao mercado consumidor. 

Com o apoio técnico da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (EMPAER-MT) o Programa Agro da Gente recebe o suporte de capacitação e orientação necessária na melhoria e aumento da produção local.

Visando a valorização das famílias do campo e fomento à agricultura familiar, a gestão Emanuel Pinheiro criou o programa 'Agro da Gente', por meio da lei nº 6.809/2022,  que tem como objetivo alavancar o crescimento da produção e autoestima dos produtores de pequenas propriedades do município, atendendo quatro cadeias produtivas: AVES, LEITE, PEIXE e FLV (frutas, legumes, verduras). 

No caso do Leite, a URT está sendo implantada na propriedade do casal Sérgio e Rosinei Barbosa, escolhidos com base nos critérios exigidos para a realização das atividades. Primeiramente, foram feitas as melhorias estruturais. Logo depois, a disponibilização do suporte técnico necessário e, neste momento, o programa prevê a expansão para outras propriedades da região, bem como, prepara a inserção do produto no mercado. 

O titular da SMATED, Francisco Vuolo, afirmou, na ocasião, que a administração atual trabalha para garantir sustentabilidade ambiental e econômica para o produtor local, garantindo desde o acompanhamento na produção até investimentos necessários para a produção em escala com rentabilidade financeira. "Não adianta produzir em grandes quantidades e não ter a saída do produto. A entrada dos parceiros vem justamente para poder fechar o ciclo e assegurar a venda futura, por um preço justo para ambas as partes, não somente dando o peixe, mas sim, ensinando também a pescar, buscando uma relação saudável, oferecendo a independência daqui em diante, conforme às leis sanitárias indicadas", declarou. 

Para Sérgio, a cooperação entre o Poder Público e a sociedade, representa a esperança de uma vida melhor, proporcionando confecção de derivados do laticínio, como por exemplo, queijo e requeijão. "Estamos muito contentes, atendendo a todos os critérios, fazendo tudo certo para que possamos ter um leite bom, gostoso e por um valor acessível. Se Deus quiser, vamos avançar mais e ser referência para os demais que desejam investir, mostrando que compensa. Só temos a agradecer", acrescentou. 

As tratativas entre os produtores e uma sorveteria de Cuiabá já estão em fase de negociação. A expectativa do projeto é atender mais de duas mil pessoas em toda a cidade.