/ ZELO

11 de Janeiro de 2023 11h04

Em 11 meses, quase 500 mil atendimentos foram realizados nas UPAs e Policlínicas

11/01/2023

ROBERTA PENHA

Davi Valle

As unidades de pronto atendimento da Atenção Secundária, que englobam três UPAs (Morada do Ouro, Pascoal Ramos e Verdão) e três Policlínicas (Pedra 90, Coxipó e Planalto), realizaram mais de 480 mil atendimentos no período de janeiro a novembro de 2022. Em breve, a capital contará com mais uma unidade, a UPA Jardim Leblon.

Apesar de serem unidades para atendimento preferencial de casos de urgência e emergência, ao analisar os números das UPAs, constata-se que a maior parte dos pacientes atendidos foi de classificação verde, ou seja, pouco urgente. A UPA Verdão, por exemplo, realizou 95.250 atendimentos até novembro e destes, 51% foi de pacientes com classificação verde. No caso a UPA Pascoal Ramos, o atendimento de classificação verde no mesmo período foi 52% do total. Apenas a UPA Morada do Ouro atendeu um pouco menos de pacientes verdes, com 48,9% do total de atendidos. Mesmo assim, esse quantitativo é quase metade dos atendimentos.

Em relação aos atendimentos de emergência, que são feitos em pacientes com a classificação vermelha, os números também são substanciais. Só nas UPAs, 122.253 pacientes deram entrada como emergência, no período entre janeiro e novembro deste ano. A UPA Verdão foi a que mais atendeu casos de emergência, com 47% do total de atendimentos. A UPA Morada do Ouro também teve um número alto de pacientes de emergência, somando 44% do total atendido em 11 meses. Os atendimentos de emergência da UPA Pascoal Ramos somaram 39% do total de pacientes atendidos.

“As UPAs e Policlínicas desempenham um papel importantíssimo na saúde pública municipal, pois é a porta de entrada dos pacientes de urgência e emergência. Nestas unidades eles recebem os primeiros atendimentos, que salvam vidas e depois, caso precisem de atendimento de alta complexidade, são transferidos para os hospitais da nossa rede. Mesmo com todo o problema que tivemos de escassez de médicos, após cumprirmos uma decisão judicial que obrigava a mandar embora todos os contratados, em momento algum fechamos as portas das nossas unidades. Continuamos a atender a população, não só de Cuiabá, mas de várias outras partes do estado e mesmo com dificuldades, os atendimentos nestas unidades seguem sendo realizados 24h por dia, de domingo a domingo”, comentou o prefeito Emanuel Pinheiro.