Segunda, 26 de dezembro de 2011, 09h59
A- |  A+

Saúde

Hanseníase pode ser prevenida, diz técnica


 

Ainda que as unidades de Saúde se mobilizem frequentemente com campanhas preventivas e assistência contínua nas regiões endêmicas do País, o quadro de incidência de hanseníase ainda é preocupante em Mato Grosso, especialmente em Cuiabá. Este alerta é da responsável pela equipe de Hanseníase e Tuberculose da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Silvana Benevides.

Segundo Silvana, em 2010 Cuiabá apresentou 56,2 novos casos da doença para cada 100 mil habitantes, o que caracteriza um padrão de hiperendemicidade. O coeficiente nacional de detecção de hanseníase, no mesmo período, foi de 34.894, 2.461 (7,1%) em menores de 15 anos.

“A presença de hanseníase em crianças significa que a doença está fora de controle. É algo constatado no trabalho diário das nossas equipes e em outros estados brasileiros".

Benevides, que defendeu tese sobre Hanseníase na universidade e fez Doutorado em Ciências da Saúde, ressalta que o Brasil figura mundialmente em segundo lugar em casos dessa doença. "A Índia está em primeiro lugar. Na realidade, houve queda significante no coeficiente de detecção em todas as regiões geográficas de 1,3 casos/100 mil habitantes (média) nos últimos 10 anos”.

A situação epidemiológica nacional aponta essa redução, mas em Mato Grosso a hanseníase tem recrudescido, “e o Estado lidera em número de casos. A borda da Amazônia Legal, à qual também integramos, é que possui a taxa mais elevada dessa doença em relação a outras regiões do País”.

Alcance

Ela sublinha que a incidência maior de hanseníase é nos adultos, mas a doença pode ser transmitida a crianças se não forem adotados cuidados básicos."Existe um sem número de formas de o contágio ser efetivado. Se uma família inteira está com hanseníase, é fato que houve descuido geral, facilitando a proliferação das microbactérias (via oral e outras formas) pelo ambiente”.

A maior fonte de transmissibilidade – descreve Benevides - ocorre pela pele do doente, que normalmente apresenta lesões iniciais (manchas) sem qualquer indicativo de dor ou outro incômodo. “A hanseníase está igualmente relacionada a um saneamento básico deficiente, um dos grandes problemas nacionais, presente em quase todos os territórios brasileiros".

Enviar Matéria Imprimir Voltar
Matéria(s) relacionada(s):
  • Notificações de dengue em Cuiabá caíram 64% em 2014

  • Projeto "Ações Inovadoras" começa neste sábado (02) na capital

  • Saúde promove "Dia D" de combate à Hanseníase em Cuiabá

  • Saúde promove "Dia D" de combate à Hanseníase em Cuiabá

  • Mauro Mendes cria conselho para o combate ao uso e ao tráfico de drogas

  • Prefeitura de Cuiabá recebe reforço para combate da hanseníase

  • Servidores da Prefeitura de Cuiabá aderem à campanha Outubro Rosa

  • Prefeitura lança Outubro Rosa na terça-feira

  • Controladoria de Cuiabá realiza trabalho para prevenir danos ao erário

  • Cuiabá recebe R$ 3,9 milhões para programa de combate ao crack

  • Prefeitura de Cuiabá investe duas vezes mais recursos no combate a queimadas

  • Prefeitura dá início à Campanha contra hanseníase e verminoses

  • Secretaria de Saúde de Cuiabá se mobiliza contra a hanseníase

  • Secretaria de Saúde de Cuiabá realiza capacitação em Hanseníase

  • Secretarias de Educação e Saúde realizam formação sobre saúde e prevenção nas escolas

  • Prefeito de Cuiabá lança campanha "Prevenção da Obesidade na Infância e Adolescência"

  • Hanseníase pode ser prevenida, diz técnica

  • Saúde promove seminário sobre Hanseníase

  • Saúde promove seminário sobre Hanseníase

  • Procura por exames de mamografia em Cuiabá é menor do que a oferta

  • SMS realiza campanha de prevenção a Pressão Alta

  • Agentes de Saúde recebem capacitação para identificar a Hanseníase

  • Programa Saúde do trabalhador atende profissionais da educação no Coxipó do Ouro

  • Praça Alencastro, nº 158 - Centro

    CEP: 78005-906

    Telefone:(65) 3645-6263/6039 (Recepção)

    © 2017 - Todos os direitos reservados - Prefeitura de Cuiabá