Segunda, 13 de janeiro de 2014, 15h08
A- |  A+

Assistência Social e Desenvolvimento Humano

Número de atendimentos na Casa de Amparo aumentou 20% em 2013


Emanuelle Rigoni

Clique para ampliar

O número de atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica na Casa de Amparo “Celcita Pinheiro”, em Cuiabá, aumentou 20% entre 2012 e 2013, conforme levantamento da Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano. No ano passado, 54 mulheres foram atendidas na unidade.

Atualmente, apenas cinco estão no local para receber acompanhamento psicossocial. Destas, três estão acompanhadas pelos filhos. Dados de Delegacia Defesa da Mulher apontam que, de janeiro a dezembro de 2013, mais de dois mil inquéritos de violência contra mulher foram instaurados.

Inaugurada em 16 de agosto de 2002, a Casa de Amparo é um projeto da prefeitura municipal desenvolvido para auxiliar as mulheres em situação de vulnerabilidade devido à violência cometida pelos maridos, ou ex-companheiros.

Entre os serviços disponibilizados pela Casa de Amparo estão: acolhimento temporário, atendimento psicossocial; orientação, alimentação; encaminhamentos para a rede socioassistêncial; reintegração familiar; higiene pessoal; concessão de passagens e inclusão produtiva.

No local, elas também recebem atendimento médico, tratamento psicológico e participam de atividades ocupacionais, como aulas de artesanato. As crianças também recebem acompanhamento médico e frequentam creches ou escolas regularmente. Asnovítimas chegam a ficar na unidade e período de três a seis meses até que se sintam seguras para retomar a vida.

De acordo com a gerente  da média complexidade da Proteção Especial, Neise Velasco, a chegada delas até o local é providenciada após a atitude de cada uma, de denunciar. Nos últimos anos, muitas delas optaram pela chamada “reinclusão familiar”, que é quando as vítimas se resguardam na casa de parentes.

“Há situações em que elas sentem vergonha e medo. Casos de reincidência quase não acontecem, porque as que passam pela casa não voltam, justamente porque aprendem a lidar com a situação e evitar que se repita”, disse Neise.

Questionada sobre o estado emocional destas mulheres, Neise avalia que o fator psicológico sempre toma maiores proporções se comparado à violência física. “Todas chegam fragilizadas, com ferimentos; a dor física passa, mas as marcas deixadas na mente, não”, concluiu. 

Enviar Matéria Imprimir Voltar
Matéria(s) relacionada(s):
  • Conselhos Tutelares terão plantão ampliado durante o Carnaval

  • Lei determina notificação compulsória em caso de violência contra criança e adolescente

  • Número de atendimentos na Casa de Amparo aumentou 20% em 2013

  • Virginia Mendes organiza tarde de beleza para vítimas de violência doméstica

  • Mauro Mendes avalia projetos que visam a reduzir índices de violência na Capital

  • Simininas participam de caminhada pelo fim da violência contra mulheres

  • Prefeitura de Cuiabá apoia 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher

  • Secretaria apoia ato público de enfrentamento à violência doméstica

  • Lei Maria da Penha é tema de palestra no CREAS Norte em Cuiabá

  • Creas Norte realiza palestra sobre prevenção à violência doméstica

  • População é beneficiada com serviços sociais da Prefeitura de Cuiabá

  • Prefeitura de Cuiabá vai levar história da Casa de Amparo a Londres durante evento mundial

  • Combate à violência contra a mulher depende de parcerias entre as instituições, acredita a primeira-dama de Cuiabá

  • Primeira-dama de Cuiabá é uma das debatedoras em palestra sobre violência contra a mulher

  • Valorizando Vidas: Assistência Social oferece palestras para moradoras do distrito da Guia

  • Servidores da prefeitura de Cuiabá participam da Campanha Mato Grosso Respeitando às Mulheres

  • Aumenta a notificação de violência contra a mulher em Cuiabá

  • Primeira dama de Cuiabá participa do lançamento oficial da campanha Mato Grosso respeitando a Mulher

  • Secretária de Assistência Social de Cuiabá participa da campanha "Mato Grosso Respeitando a Mulher"

  • Prefeitura de Cuiabá participa da campanha "Mato Grosso Respeitando a Mulher"

  • Sugestão de Pauta: Prefeitura de Cuiabá participa da Campanha "Mato Grosso Respeitando a Mulher"

  • Ezequiel de Siqueira promove passeata pela paz

  • Prefeito Chico Galindo apóia manifesto contra violência nos municípios

  • Cuiabá promove Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração de Crianças e Adolescentes

  • Saúde capacita servidores a identificarem violência doméstica

  • Secretário de Assistência Social visita unidades subordinadas à Pasta

  • SME e Secretaria de Estado de Segurança Pública se unem no combate às drogas

  • Casa de Amparo às Vítimas de Violência de Cuiabá é elogiada pela Embaixada de Portugal

  • Saúde estrutura rede de atenção às vítimas de violência

  • Praça Alencastro, nº 158 - Centro

    CEP: 78005-906

    Telefone:(65) 3645-6263/6039 (Recepção)

    © 2017 - Todos os direitos reservados - Prefeitura de Cuiabá