Sexta, 17 de janeiro de 2020, 12h50
A- |  A+

Assistência Social e Desenvolvimento Humano / OPORTUNIDADE

Venezuelanos indígenas regularizam documentos e dão entrada na carteira de trabalho

A parceria da Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano e Pastoral do Migrante, dá oportunidade para que estas famílias sejam inseridas no mercado de trabalho formal


Acampado nas proximidades da Rodoviária Engenheiro Cássio Veiga de Sá desde o início deste ano, um grupo de venezuelanos de origem indígena foi orientado pela equipe da Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano a regularizar os documentos pessoais e dar entrada em carteiras de trabalho.

O trabalho foi realizado nesta sexta-feira (17) e é fruto de parceria com a Pastoral dos Imigrantes.

De acordo com a coordenadora de Proteção Social, Maggie Carolina Maidana, o acompanhamento destas famílias acontece desde quando a Pasta teve conhecimento de sua situação. “Esta já é a terceira abordagem que fazemos com eles”, diz.

Os estrangeiros, que se recusam a ser encaminhadas à Pastoral, já tiveram problemas com outros venezuelanos abrigados na instituição. O conflito, segundo O representante do grupo, Jesus Henrique Lopez, é decorrente de preconceito por suas origens distintas e diferenças culturais.

Ele afirma que o grupo, formado por 21 adultos e cinco crianças e que, reconhece os riscos aos quais estão expostos no meio da rua e que há uma preocupação relacionada a isso. Contudo, a decisão de não se deslocarem à Pastoral será mantida.

Sendo assim, a Pasta deverá, depois de regularizar os documentos pessoais, fazer suas carteiras de trabalho e ajudá-los na busca por inserção no mercado formal, para que assim possam sair das ruas.

A coordenadora da Pastoral dos Imigrantes, Eliana Vitaliano, destaca que a casa acolhe os estrangeiros, oferece refeições, estadia, regulariza documentos, encaminha crianças para a rede sócio- assistenciais. Além disso, por meio da Secretaria de Educação, os profissionais ajudam a inseri-las na rede municipal de ensino.

Ela observa que esta é a primeira vez que a equipe acolhe venezuelanos indígenas e que estão recebendo orientação da unidade nacional da Pastoral dos Imigrantes e do Instituto de Direitos Humanos, para entender melhor sua cultura e proceder da melhor forma possível com suas demandas.

Educação e inclusão

A gestão tem adotado medidas que possam garantir melhores condições de vida na cidade aos estrangeiros em situação de vulnerabilidade.  Para isso, a Educação foi um dos caminhos escolhidos. Assim, a atuação junto aos recém-chegados tem possibilitado a inclusão social e a alfabetização de seus filhos.

Atualmente, 327 crianças venezuelanas, haitianas, peruanas, bolivianas, angolanas, japonesas, inglesas ou de outras nacionalidades estão matriculadas nas 163 unidades educacionais da rede municipal de Cuiabá.

Além disso o programa Qualifica 300, que oferece cursos profissionalizantes e de capacitação gratuita, disponibilizou vagas exclusivas para esta população no ano passado. Para ter acesso ao projeto é preciso possuir registro no Cadastro Único, porta de entrada para os programas sociais, e ter o Número de Inscrição Social (NIS).

 

 

 

Enviar Matéria Imprimir Voltar

Praça Alencastro, nº 158 - Centro

CEP: 78005-906

Telefone:(65) 3645-6263/6039 (Recepção)

© 2017 - Todos os direitos reservados - Prefeitura de Cuiabá